Quem você é?

Você se lembra da história de Marta e Maria? Onde Maria está sentada aos pés de Jesus e Marta está se esforçando para tentar fazer cem coisas? Marta finalmente chega e você pode sentir o aborrecimento pingando de suas palavras: "Jesus, diga a Maria para se levantar e me ajudar e não apenas ficar sentada sem fazer nada!"

Para ser honesto, a primeira vez que li essa passagem logo no inicio de minha leitura bíblica, achei que Maria deveria também estar ajudando. Sabe, ás vezes somos assim, ter que se apossar de algo para não fazer algumas obrigações diárias, não que Maria tenha sido assim. Mas agora eu sei que não é nada do que Maria pretendia, mas também eu entendo Marta. Eu penso: “Deus, havia muitas coisas  seriamente há serem feitas! Pelo menos 12 homens estão invadindo sua pequena casa. Isso é um monte de gente para cozinhar e limpar! Diga a Maria para se levantar e ajudar já! Ou melhor ainda, por que você e os discípulos também não nos ajudam??”

Mas o que Jesus diz? Não o que eu queria que ele dissesse:

“Marta, Marta… você está preocupada e chateada com muitas coisas, mas poucas coisas são necessárias - ou, na verdade, apenas uma. Maria escolheu o que é melhor, e isto não será tirado dela. ”(Lucas 10: 41-42)

Recentemente eu tenho pensado muito sobre essa passagem, e comecei a pensar se talvez naquele momento, Marta perdeu a visão de o quão grande Deus era.

Isso acontece muito comigo, especialmente quando a ansiedade toma conta da minha mente. Meus problemas começam a parecer tão grandes e Deus começa a se sentir tão pequeno.

Eu esqueço que Jesus transformou cinco pães e dois peixes em um jantar para milhares? Porque se eu me lembrasse disso, eu não estaria estressado durante algo simples, que eu mesmo complico.

Eu esqueço que no final do dia, o que é mais importante é o relacionamento com Deus e com os outros? Porque, se me lembrei disso, perceberia que algumas coisas podem ser deixadas por fazer, para amar os outros.

Eu posso trabalhar duro enquanto me concentro em quão grandes são as minhas preocupações... ou eu posso trabalhar duro enquanto lembro como Deus é enorme.

Eu posso tentar descansar, mas apenas me preocupo com o que mais precisa ser feito... ou eu posso descansar enquanto me lembro do quão grande Deus é.

Acho que todos nós temos um pouco de Marta e um pouco de Maria em nós. E eu não acho que isso seja ruim.

Tudo através da Escritura somos informados dos benefícios do trabalho duro, como estes exemplos:

Seja diligente em vez de preguiçoso (Provérbios 6: 6-11 e 12:24).
Saia do seu caminho para ajudar outras pessoas (Tiago 1:27, Gênesis 24: 10-21).
Não se canse de fazer o bem (Gálatas 5: 9).
Eu sempre pensei nisso como a parte de Marta de mim - fazendo um trabalho árduo e diligente que leva a sério o chamado de Deus para cuidar de outras pessoas. E isso é uma boa qualidade para se ter.

E então vemos toda a Escritura do outro lado da mesma moeda sendo louvado: o adorador, o lado de Maria. Eis um exemplo de Davi: “Quero morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida” (Salmo 27: 4 e 84:10). Esta é a parte de mim que deseja estar ciente de Jesus comigo em todos os momentos e todos os dias.

Precisamos de um pouco de Marta e de uma pequena Maria em nós. Mas precisamos delas em equilíbrio.

Nós pensamos: Bem, um dia eu morrerei mesmo. É melhor eu usar todo o meu tempo na terra com sabedoria. Então, deixamos de lado nossos próprios limites físicos, dados por Deus (como precisar de espaço para mentalmente processar, dormir, comer e ficar sozinhos com Deus e nossos familiares, sempre tentamos nos tornar super-heróis. Mas Jesus é o único super-herói.

Tenho a tendência de pensar que quando passamos à amargura (como o aborrecimento no tom de Marta), isso é um sinal de que algo está errado em nossas vidas.

Então, talvez quando eu começar a me sentir amargo, como se estivesse dando mais do que tenho para dar, é quando preciso parar de “limpar e arrumar e trabalhar” e ficar bem com algum trabalho inacabado e uma casa imperfeita. A nossa melhor solução no momento de estresse é parar e “sentar-se com Jesus”, depositando Nele toda á nossa confiança e amor.

Se ignorarmos os limites que Deus nos deu, nós não usufruiremos de sua graça, amor e paciência. E se estamos buscando o vazio, precisamos prestar atenção a isso, porque é um indício de que algo está errado. É uma pista de que estamos preocupados com muitas coisas… quando apenas uma coisa é necessária.

Então, o que isso significa para mim? Aqui está o que eu tenho pensado:

Talvez eu precise limpar algum espaço na minha agenda para passar mais tempo com Deus. Deixar de lado meu telefone (apesar de ser meu trabalho) e minha lista de tarefas para estar totalmente presente com um amigo. Estou aprendendo a ficar bem com uma casa imperfeita, escritório para organizar e tarefas inacabadas, se é isso que é preciso para amar outra pessoa, e para buscar mais do meu relacionamento com Deus. Ainda mais, por que não praticar a consciência da presença de Deus, sabendo que Ele está comigo em todos os momentos de todos os dias - seja trabalhando ou descansando?

Isso não significa que eu pare de ser responsável ou nunca trabalhe novamente. Apenas significa que eu estou apto há ouvir a sua voz. E quando ele me chama, eu venho. Por isso eu me pergunto, quem eu sou?! Porque eu me estresso tanto com coisas tão pequenas?!

Com amor e gratidão,

0 Comentários