Resenha do Livro: Deus está ao telefone - Fabiane Ribeiro


Sinopse: Will encontra-se no momento mais difícil de sua vida. Perdas do passado o atormentam e o levam a decidir fazer uma loucura. Contudo, quando está em uma estação de metrô, prestes a cometer um grave erro, Will é impedido pelo toque de seu celular - que, por sinal, estava desligado e sem bateria -. Uma pessoa simpática, de voz indecifrável, o acompanha na viagem de metrô mais inusitada que alguém poderia ter. Revisitando seu passado e recebendo a visita de pessoas que marcaram seus dias, ele reaprende sobre os próprios erros - desde a época em que era jovem e trabalhava na vinícola da família, até o momento catártico em que se encontra no metrô vazio, em uma jornada repleta de visitas e dores passadas, mas com encontros e reencontros a cada nova estação.

Conheça o Will.

Infelizmente hoje por diversos motivos, todos nós somos apegados há pessoas e bens materiais, e isso acaba nos frustrando, permitindo que fiquemos sem um rumo verdadeiro para seguir, viver sem um propósito é tão triste quanto a morte. Desde de 2007 as taxas de suicídio cresceram devastadoramente no Brasil e no mundo com mais de 130,00 mil mortes até 2018. Mas qual a causa? Pressão familiar, vida sem propósito, relacionamento acabado ou abusivo, morte de um ente querido, autoaceitação, ou outros milhares de problemas que só a depressão é capaz de criar. Will destinado totalmente sem esperança e destinado a se matar em uma estação de metro. Esperando o momento certo, para sua decisão crucial se tornar imersa, ele recebe uma ligação, mas uma ligação com o seu telefone desligado, sim desligado! Mas como isso pode acontecer?! 

Will por mais que pensasse que estava só, ele nunca esteve sozinho. Muitos de nós achamos que suicidar vai resolver nossa situação, mas não vai! Depressão, tristeza, falta de viver ou qualquer outra doença mental não diagnosticada são grandes contribuintes para essas mortes, sabemos que além de qualquer dor ou sofrimento, por mais que seja difícil, existe a esperança no fim do túnel.

Esta é a história de Will, mas pode ser de alguém que você conheça. 

'Will com vinte e um anos, morava em um vinhedo bem perto do mar, e sua família trabalhava com vinhos, mas além daquela incrível imensidão de uvas e vinhos, algo mudou na vida dele, em grupo de turistas que conheciam o vinhedo, lá estava Daiana. Miúda, quase imperceptível entre as outras pessoas, como o cheiro da dama-da-noite, tentando ser notada em meio a uma confusão de aromas. 

O livro todo passa a história no metro, enquanto ele não chega ao destino, Will se reencontra com seu passado e ele encontra diversas respostas para as suas perguntas que a voz misteriosa fez reviver e, além, descobrir respostas que ele mesmo não imaginava ter dentro de si.

As coisas nem sempre são do jeito que queremos ou pensamos, e para Will nada estava indo tão facilmente quanto ele tinha planejado. Ele teve que sair de seu vinhedo, abandonando todos as suas lembranças, e uma história de amor escrita e vivida lá. E tudo isso seria jogado fora, mas Fabiane nos leva pela jornada de Will intercalando passado e presente de uma forma bastante simples e que não fica confusa para o leitor. Com pequenos capítulos e com o grande impacto emocional, a autora constrói o enredo trabalhando com vinhedos, flores, relacionamentos e diferentes acontecimentos mostrando que muitas pessoas acabam passando por situações semelhantes mas a forma como saem ou como lidam faz total diferença. Muitas lições são encontradas nesse livro pra guardar no coração, para prestar atenção ao redor, para se colocar no lugar do outro. 

Will estava no mesmo barco que qualquer outra pessoa com pensamentos de se suicidar e seu futuro era tão inseguro quanto a morte que o aprisionava a por um fim em tudo, mas ele foi capaz de atender a ligação e controlar a ansiedade. E a voltar atrás, tendo uma nova oportunidade de rever suas escolhas e pensar um pouco voltando no passado, a verdade é que todos assim como o Will, estamos extremamente vulneráveis à depressão, e as escolhas que nos levam a morte, assim como Will neste momento, necessitamos revisar o nosso estilo de vida e vê aquilo que nos empurra para o fundo do poço. Por outro lado, isso já aconteceu comigo também, e pode acontecer com qualquer um! Esquecemos de atender a ligação (chamado de Deus), e rejeitamos, bloqueamos o seu amor e ajuda para conosco. 

Por diversos momentos li o livro em lágrimas: quantas vezes não descartamos Deus?! Por estarmos sempre muito ocupados com outras coisas e deixar cair na caixa postal?  Esse número indecifrável e insistente que nunca deixa de nos ligar - muitas vezes gostaríamos de tê-lo na linha direta, não é mesmo? 

Não é apenas a falta de amor com Daiane que estava impedindo ele de viver, era a falta de propósito. "Continue com isso", "a vida é difícil" , "Daiane não voltará".

 Viver sem propósito é como colocar água em um balde furado, nunca encherá.

 Deus está ao telefone é um livro fantástico e um relato honesto do que acontece quando o amor e a depressão se entra em sua vida. Fabiane escreve com uma honestidade que é refrescante, mas intensamente dolorosa. A maneira que ela escreve, é como se ela estivesse escrevendo para o seu futuro, sua escrita é amigável e confortável, não há formalidade e esse estilo informal permanece em vigor ao longo do livro. Ela é claramente confortável em sua própria escrita. Eu terminei o livro com uma visão diferente e muito bonita sobre tudo, o tipo de questionamento saudável e pessoal sem falar tanto de religião mas sim de fé, esperança, gratidão e perdão e é claro, o maior sentimento de todos: o amor. Sempre há uma saída, sempre existirá alguém que também está passando por problemas semelhantes e precisamos aprender a seguir em frente para poder viver novos capítulos. Livro mais que recomendado, você também vai querer que seu telefone toque. E, certamente, não vai querer perder essa chamada.

Sua determinação em compartilhar sua essa história, em ajudar os outros através do livro é uma característica que eu admiro e compartilho, e eu entendo essa necessidade de derrubar muros e fazer as pessoas entenderem que elas podem viver uma vida feliz e bela. 

Avaliação: 

Com amor e gratidão,

0 Comentários