Brasília visitar ou não? A cidade arquitetônica.

Depois de dois dias viajando de ônibus, chego eu em Brasilia, me surpreendo pois a cidade é muito mais do que eu imaginava. É muito mais limpa que qualquer outra cidade metropolitana do Brasil, sim é mais limpa! Muito mais bonita e, pelo jeito, muito mais organizada também.

Fiquei hospedado em um apartamento do AirBnB no lado norte da cidade. Olhando para o mapa, e conversando com o Uber, percebi que a cidade foi projetada na forma de um avião. O centro da cidade abriga a maioria dos pontos turísticos, atrações turísticas e hotéis, enquanto as alas norte e sul eram designadas como áreas residenciais. Esse estilo foi perfeitamente planejado em 1956, quando o presidente Juscelino Kubitschek ordenou a construção e criação de Brasília e a designou como a nova capital do Brasil.

Brasília é muitas vezes conhecida como uma cidade modernista, futura,(e de fato é) projetada com perfeição pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Eu poderia ver claramente o porquê. A área residencial em que eu fiquei hospedado era perfeitamente bem cuidada. Ali, as árvores eram plantadas em linhas retas, a grama aparada e os arbustos e vasos de flores eram cuidadosamente tratados. Não havia sequer um pedaço de lixo no chão. Os prédios residenciais foram agrupados em blocos. Cada bloco tinha uma área comercial designada, com número prescrito de escolas e lojas. Sendo essas qualidades, que torna Brasilia diferente das demais cidades do Brasil.

No dia seguinte, fui para o centro da cidade via transporte público, que custa de 2,80 - 5,00 R$. Primeiro, eu andei de ônibus, são simples, com wifi hahaha, eficiente, agradável e às vezes me fazia esquecer que eu estava no Brasil.

Depois de passar o dia todo passeando de ônibus kkk (isso é outra história), dediquei todo  o dia seguinte a explorar a cidade. Todas as principais atrações de Brasília ficam perto da outra, localizadas ao longo do Eixo Monumental, cruzando o centro da cidade.

Primeiro foi a torre de TV que oferece vistas incríveis da cidade. Olhando para baixo da torre, você ficará fascinado com a perfeita simetria do design de Brasília. De complexos residenciais a shoppings e rodovias, tudo parecia uma imagem espelhada idêntica.







Mais abaixo, no Eixo Monumental, você verá o monumento do presidente Juscelino Kubitschek.


Enquanto me dirigia para o lago Paranoá, um lago artificial criado para aumentar a quantidade de água na região, também vi algumas maravilhas arquitetônicas de Brasília: o Museu Nacional da República, a Biblioteca Nacional de Brasília, e a Catedral de Brasília. Cada um deles é único e espetacular, tudo projetado com beleza e precisão.




É fácil se envolver com a perfeição estrutural e a elegância de seu design em Brasília. Muitos se afastam e vêm morar em Brasília por pura admiração ou por sua arquitetura e percebem a alta qualidade de vida. Mas basta uma conversa com um local no ônibus para vermos a realidade da cidade.

“Sim, gosto de morar aqui”, diz José, um morador sentado ao meu lado no ônibus. “É um bom lugar para trabalhar e morar. Eu se mudei pra cá aos 30 anos, quando a cidade ainda estava no auge dos empregos. Então, para mim, Brasília é está em casa. Mas não é realmente o Brasil. Não tem cultura brasileira. Não é como o Rio ou Salvador. 
“Você acha que Brasília é mais segura se comparada a outras cidades do Brasil?”, Pergunto, indo diretamente para a grande questão em minha mente.
“Costumava ser, mas agora, muito mais pessoas se mudaram para Brasília, muitas sem instrução e sem emprego. O crime aqui é maior agora. Não é mais tão seguro. Você não deve andar sozinho, especialmente no centro. E sempre esconda seus pertences. ”

E ele estava certo. No começo, Brasília parecia uma imagem perfeita, mas no segundo em que saí das áreas residenciais ricas e longe das atrações turísticas, me senti desconfortável. Lá estava a sujeira, a decadência e confesso que não me senti seguro.


Brasília é hoje o lar de mais de 2,9 milhões de pessoas, muito mais do que as 600 mil para as quais essa cidade foi projetada. Os custos das propriedades nas áreas residenciais subiram, obrigando a classe média baixa a sair da cidade e criar casas e favelas nos arredores.

A capital do Brasil pode ser uma cidade futurista perfeita, mas certamente não é uma representação precisa do Brasil. Se não fosse pela Copa do Mundo e a presidência do Brasil, eu provavelmente não teria escolhido visitar Brasília. Mas eu estou feliz que eu conheci.

Brasília é como o futuro do Brasil, e poderia ser, mas ainda não chegou lá. Sejamos otimistas e esperamos que em outros 50 anos isso aconteça, afinal Jamerson, eu devo conhecer ou não a cidade arquitetônica?! Bom, cabe a você escolher, talvez eu voltaria, não para passar mais de três dias e sim um ou dois no máximo, pois apesar de muitos comentários ruins que recebi dos locais em Brasília, eu graças a Deus, não tive nenhuma experiencia ruim por lá.

Com amor e gratidão,

0 Comentários