O muro entre mim e a vontade de Deus


O apóstolo Paulo diz de Deus: “Quão inescrutáveis são seus julgamentos e quão inescrutáveis são seus caminhos. Pois quem conheceu a mente do Senhor? ”Alguns versículos depois, ele diz:“ Você pode discernir qual é a vontade de Deus ”. Ele diz:“ É impossível compreender ou entender a mente de Deus. Então ele diz: E você vai aprender.

Nós já sabemos, de outras partes das Escrituras, as maiores e mais amplas dimensões da vontade de Deus para nós - o que ele revelou em sua palavra. Paulo diz: "Esta é a vontade de Deus, a vossa santificação" (1 Tessalonicenses 4: 3). Sua vontade é que você se torne cada vez mais semelhante a Cristo. E então, no próximo capítulo, “Alegre-se sempre, ore sem cessar, agradeça em todas as circunstâncias; porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco ”(1 Tessalonicenses 5: 16–18). A vontade de Deus é que você se regozije sempre, não de vez em quando, e ore persistentemente a respeito de tudo, e dê graças no meio de qualquer coisa, não importa o quanto seja difícil.

O apóstolo Pedro também diz: “Esta é a vontade de Deus, que, fazendo o bem, você deve calar a ignorância das pessoas tolas” (1 Pedro 2:15). A vontade de Deus para você é fazer o tipo de bem, com sua ajuda e força, que o mundo não pode negar ou envergonhar.

Conhecemos mais da vontade de Deus do que frequentemente percebemos, mas há muito mais - infinitamente mais - que ainda não sabemos (sua “vontade secreta”) e algumas coisas que talvez nunca compreendamos completamente. Mesmo o céu não se sentirá como o fim de nossa jornada em sua vontade; ele se sentirá como o início sem pecado e liberado de uma exploração interminável em sua mente e coração.

Então, o que fazemos com o que não sabemos agora?

Quem conhece?

O próprio Paulo lutou para encontrar a vontade de Deus. Ele disse: "[Eu estou] pedindo que de alguma forma pela vontade de Deus eu possa finalmente finalmente chegar a você" (Romanos 1:10). Eu não sei qual é a vontade secreta de Deus para mim nesta situação, mas estou orando para que ele me envie para você. E então ele diz: "[Ore por mim] para que, pela vontade de Deus, eu venha a você com alegria e seja revigorado em sua companhia" (Romanos 15:32). Eu quero a alegria e o descanso, mas ainda não sei qual é a vontade de Deus.

O que você está esperando que a vontade de Deus seja para você? O que você planeja ou quer fazer, se ele quiser?

Sabendo como é esse tipo de pensamento, Paulo diz:

Oh, a profundidade das riquezas e sabedoria e conhecimento de Deus! Quão insondáveis são seus julgamentos e quão inescrutáveis são seus caminhos! “Pois quem conheceu a mente do Senhor, ou quem foi seu conselheiro?” “Ou quem deu um presente a ele para que ele pudesse ser reembolsado?” Pois dele e através dele e para ele são todas as coisas. Que para ele haja glória eterna. Amém. (Romanos 11: 33-36)

Em Romanos 9-11, Paulo escalou os penhascos mais íngremes da vontade soberana e misteriosa de Deus, especificamente na eleição. E quando ele olha para cima, e vê outro cume estendendo-se para as nuvens, ele diz - não, ele canta - sobre tudo o que ele vê (e ainda não vê), Inalterável! Inescrutável! Supremo! "Que para ele haja glória eterna!"

Discernir a vontade de Deus

Nos próximos versículos, ele diz:

Portanto, peço-lhes, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresentem seus corpos como sacrifício vivo, santo e aceitável a Deus, que é o seu culto espiritual. Não se conformem com este mundo, mas sejam transformados pela renovação de sua mente, que, testando, possam discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, aceitável e perfeito. (Romanos 12: 1–2)

Quando Paulo nos chama a viver como sacrifício, e ao fazê-lo para começar a discernir a vontade oculta de Deus, ele está construindo uma casa de adoração nas montanhas da glória de Deus em Romanos 9-11.

Os julgamentos de Deus são insondáveis. Seus caminhos são inescrutáveis. Sua mente é incognoscível. Portanto, viva como pequenos sacrifícios de louvor, acessíveis e acessíveis (Romanos 12: 1). Abaixe-se como seu servo, a fim de levantá-lo como seu tesouro. E como você faz, Deus irá levá-lo mais alto até a montanha. Você procurará o insondável, compreenderá o inescrutável, conhecerá o incognoscível. Você começará a “discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, aceitável e perfeito” (Romanos 12: 2).

Paulo vai tão fundo e alto quanto possível nos mistérios de Deus para nos ajudar a confiar em Deus nas coisas que ainda não conhecemos - e haverá muito que nunca conheceremos e compreenderemos plenamente nesta vida. Mas tendo feito a missão de conhecer os caminhos de Deus e parecer impossível, ele então nos convida a assumir a missão, fazer o impossível.

Ao viver para o bem da glória de Deus, você começará a ver mais da vontade dele em sua vida.

Transforme sua mente

Será que Paulo nos dá mais pistas sobre o que parece ser um sacrifício vivo para a beleza e o valor de Deus? Ele faz: “Não se conforme com este mundo, mas seja transformado pela renovação de sua mente, que testando você pode discernir. . . ”(Romanos 12: 2). Nós nos libertamos dos padrões e prioridades deste mundo, e lentamente remodelamos nossas mentes, transformando como pensamos, o que queremos e como vivemos.

Como nos transformamos? “Todos nós, com rosto desvendado, contemplando a glória do Senhor, estamos sendo transformados na mesma imagem de um grau de glória para outro. Porque isto vem do Senhor que é o Espírito ”(2 Coríntios 3:18). E como vemos a glória do Senhor? Nós ouvimos a voz de Deus (em sua palavra) quando ele nos revela como as coisas realmente são. Procuramos as Escrituras, porque todas elas testemunham a glória de Cristo (João 5:39).

Seremos capazes de compreender e explorar mais a mente infinita de Deus quanto mais embebermos em sua palavra, e quanto mais nos parecemos com ele, pelo poder de seu Espírito, em nossas vidas.

Quebre as paredes

Talvez o maior obstáculo para entender mais da vontade de Deus para nós seja nossa própria paixão, até obsessão, conosco - com nós mesmos. No verso seguinte - logo depois de dizer: “. . . que, testando, você pode discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, aceitável e perfeito ”- Paulo diz:“ Pela graça que me foi dada, eu digo a todos vocês que não pensem em si mesmos mais do que deveriam. pense, mas pense com julgamento sóbrio, cada um de acordo com a medida da fé que Deus designou ”(Romanos 12: 3). Qual é o muro entre nós e a vontade de Deus? Nós estamos. Nosso orgulho. Nosso pensar em nós mesmos mais do que deveríamos.

Se quisermos nos conformar com este mundo, então devemos ver e avaliar tudo, incluindo o próprio Deus, através de nós mesmos - baseado em como ele (ou ela) beneficia, afirma e nos destaca. Mas se quisermos resistir a sermos conformados a este mundo e renovar nossas mentes, adaptando nossas vontades à vontade de Deus, não pensaremos tão bem em nós mesmos. Começaremos a ver como somos pequenos e nos esforçaremos para tornar nossa existência minúscula, imperfeita e esquecível destacar a enorme, perfeita e eterna glória de Deus. E seremos mais felizes diante de sua glória do que jamais buscamos a nossa.

Se quisermos escalar as imensas montanhas da majestade de Deus e começarmos a discernir sua vontade, devemos morrer para nosso senso de nossa própria grandeza. Devemos nos libertar de nossas ilusões sobre os prazeres e a aceitação de nosso pequeno mundo e fixar os olhos de nossos corações na grandeza e beleza de nosso Deus.

Com Carinho, obrigado por Ler!

Que Deus te abençoe.

xx, Jamerson

0 Comentários